2° DIA ESTADUAL DO CELÍACO: MUDANÇAS NOS HÁBITOS ALIMENTARES PERMITE VIDA NORMAL AOS CELÍACOS

Por: | Postado em: 20 de maio de 2017

O 2º Dia Estadual do Celíaco, aconteceu na manhã desta sexta-feira (19/05), no Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná, proposto pela Deputada Claudia Pereira (PSC), autora da lei n° 18.705/2016, que institui o dia 20 de maio como Dia do Celíaco no Estado do Paraná.
Com a participação da ACELPAR (Associação dos Celíacos do Paraná), representada pela Solange do Nascimento, o encontro iniciou com um café da manhã oferecido por várias empresas, onde os participantes puderam degustar saborosos alimentos totalmente sem glúten na composição. Logo na sequência, 4 palestras alertaram para os importantes cuidados que os celíaco precisam ter, para alcançar uma boa qualidade de vida.
A primeira profissional a falar foi a Dra Camila Mercali, que é Nutricionista Clínica e falou sobre “Nutrição Funcional na Doença Celíaca”. A substituição de alimentos é uma das formas de manter a vida saudável e não desencadear os sintomas da doença.
“Desempacotar menos e descascar mais” é a dica! A consciência alimentar é de suma importância. “Optar pelos alimentos saudáveis e conhecer os benéficos de cada um deles ajuda na vida saudável dos celíacos”, ressaltou.
A Dra Dinadéia Brandalize, psicóloga, falou sobre “Aceitar a Doença Celíaca”. De acordo com a profissional, o primeiro passo da pessoa que descobre ser celíaca é se questionar e achar que nunca mais poderá comer. “É preciso aceitar a doença, entender e seguir em frente. As fases até aceitação de fato, é um processo, mas é necessário seguir em frente”.
A Dra. Lorete Maria Silva Kotze, Médica formada pela UFPR em 1966, Especialista em Gastroenterologia, Gastroenterologia Pediátrica e Clínica Médica; Doutora pela UNIFESP-Escola Paulista de Medicina falou sobre “Doença Celíaca e Doenças Associadas em celíacos e seus familiares”. De acordo com a profissional, a doença tem caráter genético e todos precisam fazer os testes de eliminação da intolerância. “Os aspectos genéticos ajudam, mas não são suficiente para tudo. Depois, elimine também a possibilidade de outras doenças autoimunes, como por exemplo, fibromialgia, diabetes tipo 1, entre outras. É preciso descartar todas as dúvidas”.
A dieta sem glúten não significa que a pessoas irá emagrecer ou engordar. Quem tem doença celíaca precisa fazer a dieta e manter-se saudável e cuidando da alimentação. “O uso de probiótico é usado em alguns casos, mas nada substitui a dieta alimentar. Muitas pessoas, ao sentir uma melhora, acabam relaxando na alimentação, param de seguir as recomendações de alimentação e isso é extremamente prejudicial. Nada vai substituir a dieta e nenhum produto ou marca mudará a condição de celíaco, é um cuidado constante, uma mudança de vida”, frisou.
A última palestrante foi a Dra. Karina de Paula, representando a Secretária Estadual da Saúde, para falar sobre o Selo Sem Glúten, que também é uma lei de autoria da Deputada Claudia Pereira, de n° 18.757/2016, institui o Selo “Sem Glúten”, para os uso a fachada dos estabelecimentos comerciais que vendam produtos sem glúten na sua composição, fabricados ou apenas comercializados. Na oportunidade, ela falou sobre a regulamentação deste selo pela Vigilância Sanitária e pela Secretaria Estadual de Saúde. A Vigilância Sanitária irá aplicar um roteiro e critérios que o estabelecimento deve atender, caso queira receber o selo, que será opcional ao comerciante,
“A ação dos consumidores também será importante, caso algum estabelecimento infrinja alguma das regras, deve ser denunciando. Será preciso seguir as normas e regras para assegurar a saúde daqueles que frequentam o local”.
Para receber o Selo, será preciso atender os critérios básicos e a vistoria acontecerá no local para, então, estar ou não apto para o recebimento deste Selo.
Após a regulamentação do Selo, tanto no site da Secretaria de Saúde, quanto no site da ACELPAR, será disponibilizado os nomes dos estabelecimentos para facilitar e incluir socialmente os celíacos.
A Deputada Claudia finalizou dizendo do compromisso de a cada ano realizar um encontro e fazer uma prestação de contas do que foi feito durante esse período, bem como apresentar uma nova conquista aos celíacos, como por exemplo o “Selo Sem Glúten”. “Nos nossos encontros, espero sempre poder trazer algo novo, que acrescente na vida de cada um. Fico satisfeita em saber que o nosso selo está em fase final de regulamentação e é muito importante para cada um dos celíacos que terá  de forma segura, a informação de onde é possível se alimentar com sabor e saúde.”
Claudia reforçou que seguirá acompanhando a regulamentação do Selo Sem Glúten até o final, incluindo a assinatura desse decreto pelo Governador do Estado.
Mais fotos: https://www.facebook.com/pg/deputadaclaudiapereira/photos/?tab=album&album_id=1281387585264421